sábado, 5 de outubro de 2013

HIPPIE’S NEW AGE: PERFUMADOS E LIMPINHOS


Eles dizem ser alternativos
com rastafári nos cabelos
e pulseiras nos tornozelos,

mas são só filhinhos de papai:
eles só compram tênis Nike,
mas preferem andar de bike.

Eles jamais comem carne,
pois querem salvar o planeta,
livrando o mundo dos caretas;

através de grupos de e-mails,
ficam todos bem informados,
espertos e politizados,

e ainda escutam um bom som,
mas não do rádio, pois aliena...
Quanto a mim, resta apenas pena.
    

19 comentários:

  1. Hippie’s new age: perfumados e limpinhos encontra-se na sessão INDESCULPAVELMENTE SUJO do e-book Os Teimosos e a Poesia do Contra (em co-autoria com D.Everson, Marcone Santos e Ane Montarroyos), disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. Medo de que a sociedade não veja o que se passa de verdade no mundo...

    parabéns como sempre, belissimo aqui

    ResponderExcluir
  3. "Ter a pena" é o que vale a pena!
    Abraços,

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Fica claro, new age não aguenta
    Se tentar, a "Ideologia" rebenta
    Viver só de Paz e Amor
    Como fizemos com louvor
    Nos admiráveis anos sessenta.

    ResponderExcluir
  5. Pelo visto, estamos no mesmo barco! ;)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Limerique

    New age pegou andando o bonde
    Usando Nike, ignorância esconde
    Não viu Woodstock
    Nada sabe de Rock
    Ouviu galo cantar não sabe onde.

    ResponderExcluir
  7. Ei, Caju! Muito obrigada pelo comentário no meu blog! Eu respondi lá mesmo. Mas adianto que curti muito. Acordei já pensando que era sábado e em ler teu blog. Foi uma surpresa quando vi seu comentário!!

    Sobre teu poema, muito bom, descreve bem um monte de universitariozinho intelectualóide!!!

    ResponderExcluir
  8. Ainda bem que não são violentos...Caju, beijos!

    ResponderExcluir
  9. A pena de viver mais nada. Obrigado Caju pelo toque no poema, consertei o erro, Valeu!!!

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Até vale na adolescência, porque faz parte. Mas as adolescências se estendem e o teatrinho continua. É olhar e sacar por trás das...fantasias!
    Bem lembrado, Fred!
    Beijos,

    ResponderExcluir
  11. Limerque

    Protestar, mas sempre bem limpinhos
    Para New Age esse é o caminho
    Com roupas de grife
    Agimos como xerife
    Afinal, somos sempre mauricinhos.

    ResponderExcluir
  12. um quê de pré-conceito. muitos quês de poesia.

    ResponderExcluir
  13. Pena, é o que vale.

    Abração, Fred!

    ResponderExcluir
  14. Perfumados sim, mas limpinhos, nunca! Meu abraço, Fred torto!

    ResponderExcluir
  15. Fazendo força para se encaixar em esteriótipos. Enquanto isso eu fujo.

    Como sempre, muito bom, grande Fred!

    Aquele abraço.

    ResponderExcluir
  16. Amigo Fred, vim te convidar a uma visita ao meu post A BUSCA DO NIRVANA. Meu abraço.

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!