sábado, 21 de setembro de 2013

COM ÊNFASE


Se eu fosse sua, apenas sua,
eu seria, ah, como eu seria,
a mais bonita do teu jardim.
Todavia, porém, contudo,
em uma noite, alguma noite,
a escuridão, essa escuridão,
apagar-me-ia do teu desejo.

Se fosse um, e apenas um,

eu não teria, nunca teria,
que gastar o meu perfume.
Mas, entretanto, consoante,
alguma hora, qualquer hora,
as tuas flores, aquelas flores,
murchariam nas minhas mãos.
    

17 comentários:

  1. Com ênfase encontra-se no e-book Contradições Coerentes, disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. Haja tu, Fred, todavia, porém, contudo, não queres gastar teu perfume? Só ele tem o dom de causar doce ciúme! Meu abraço.

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Inconsúteis, palavras são glosa
    Seja no verso ou seja na prosa
    Do poder sedutor
    Da refinada flor
    Uma rosa é apenas uma rosa.

    ResponderExcluir

  4. Ah, me lembrei, de repente, te lendo: "Mas compreendi que além de dois existe mais...". Raul Seixas e a Maçã. Com ênfase é profundo.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  5. É tão fina a membrana, quase invisível, que os une e separa...
    Abraço, poeta,

    ResponderExcluir
  6. Que poetar bonito, moço.
    Florido momento tive ao encontrar esse teu lugar. Te deixo o imediatismo da minha admiração.

    ResponderExcluir
  7. Fred, percebi os desencontros dos sujeitos das orações, no sentido gramatical: as sujeitividades, as subjetividades. Tipo o poema de Manuel Bandeira intitulado "a arte de amar".

    um abraço dos mano da Cherupita
    =D
    Marcos

    ResponderExcluir
  8. Mas, porém, todavia, contudo está bom.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Gostei, Fred! É bonito, tem classe!

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Boa noite, Fred. Muito tempo que eu não venho aqui, encontro do mesmo modo uma poesia muito boa e irreverente, que fazes de um modo bem peculiar!
    Parabéns!
    Linda semana e beijos na alma!

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!