sábado, 24 de agosto de 2013

COÇANDO O SACO NO SOFÁ


Coçando o saco no sofá
por volta das dezoito horas,
ofendendo o horário nobre
das famílias das senhoras.
Roncando como um porco
sendo sacrificado no natal,
dando minha devida atenção
à TV e ao Jornal Nacional.
Desse horário em diante
vou me dedicar à poesia,
escrevendo e reescrevendo
cada vez menos por dia.
Já estou na madrugada
e o sono me dá um coice,
sou desafiado para entrar
nessa vã briga de foice.
Vencida a minha batalha,
eu me mantenho acordado,
já pelas duas da manhã
com o coração apertado.
Espero mais meia hora,
aí ela chega bem devagar
e eu correndo como louco
com um balde a carregar.
Duas horas mais tarde,
termino de regar o jardim
e de encher reservatórios,
vou chamar o sono pra mim.
     

19 comentários:

  1. Coçando o saco no sofá encontrar-se no e-book Jardim da Ausência, disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. Bom... A propósito, F., remédio pra insônia: três noites sem dormir. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Durma bem, malandro, que amanhã tem mais! Meu abraço.

    ResponderExcluir
  4. A insônia é um mero pretexto para um poema de ourives. Maravilha poeta!
    Abraços,

    ResponderExcluir
  5. Limerique

    Sobre vate Caju vou dar pitaco
    Ele é um poeta do balacobaco
    Construiu um memorial
    De formato genial
    Com a velha arte de coçar saco.

    ResponderExcluir

  6. Eu já personifico tudo. Vi dona Insônia bem-vestida e afrontosa. E ofender o horário nobre coçando o saco é tudo de bom! rs

    beijos, Fred

    ResponderExcluir
  7. Sim, eu conheço o blogue do Henrique faz alguns anos.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde Fred rsrs muito boa a poesia.. olha... pro jornal nacional e politico babaca coçar o saco é pouco rsrs abração tenha um lindo dia

    ResponderExcluir
  9. Que beleza de rimas.
    O contexto do cotidiano com poesia sempre fica mais suportável. Além de bonito.

    ResponderExcluir
  10. Demais! Ode a insônia.
    Não há mais nada a dizer, depois do limerique do Jair, rs

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Véi, o poema é todo bom, mas o melhor tá logo no começo:

    " Coçando o saco no sofá
    por volta das dezoito horas,
    ofendendo o horário nobre
    das famílias das senhoras."

    MUITO bom!

    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
  13. Essa é a nossa realidade! E a TV não mostra!

    ResponderExcluir
  14. Me parece familiar...

    Aquele abraço, meu chapa!

    ResponderExcluir
  15. Muito bom. Só não vá exagerar na dose de poesia (ou Rivotril).

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!