sábado, 20 de julho de 2013

Três poemas de Daniel Lima

  
Sou o intervalo
            entre a palavra e o gesto.
E amar a vida,
            senti-la e consenti-la
                        é meu protesto.



                                                          Vale a pena ser eu, mesmo perdido.
                                                          Um dia, hei de encontrar-me não sei onde,
                                                          numa esquina talvez ou na soleira
                                                          da casa de um amigo ou num presídio.

                                                          Já muito chão andei, sempre à procura
                                                          do que, não sei; de quem, pior ainda.
                                                          O endereço perdi de toda gente:
                                                          será que vou saindo, ou vou chegando?

                                                          No leste nasce o sol, mas é ao oeste
                                                          que coração e pés me vão levando,
                                                          eu, tão norte que sou, que o sul quem há de?

                                                          Perdido estou, sem referência alguma
                                                          do espaço e tempo, mas confuso embora,
                                                          sei que sou o perdido. E vale a pena.



Antes, vivia na certeza,
como uma águia aprisionada na gaiola.
                        A dúvida me libertou
deixando-me voar no espaço livre,
                        não mais certo de nada
senão da importância do voo.
   

20 comentários:

  1. Caju danado será transmissão de pensamento? Foste lá no meu/seu blog com um poema em mente, que coincidentemente encontrou o meu. Eu vim te visitar e trago de presente um vídeo que, coincidentemente, parece com poema do teu amigo.

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=nIOts0hHfTc

    ResponderExcluir

  2. Couberam como uma luva os poemas em minha alma. Verdade, verdade: a dúvida dá asas, liberta! Show, Caju!!!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. É assim mesmo, Fred. Há momentos em que nos sentimos no caminho certo. Mas o bom talvez seja não ter certeza de nada. É aí que fazemos descobertas e mais descobertas. Meu abraço.

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Vive o aedo nas entrelinhas
    E com seus versos nos acarinha
    Ele mata a cobra
    Através da obra
    E ao término no verso definha.

    ResponderExcluir
  5. Os versos acima expressam a liberdade de não ter paradeiro, mas ter um ideal, o caminhar é o ideal.

    ResponderExcluir
  6. Intensamente belo... lindo protesto!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. E o que é o "voo", senão a "vida"?
    Viver e se perder valem o protesto...

    Adorei, Caju!

    Beijo,

    Nel

    ResponderExcluir
  8. Os sentimentos vivem connosco e deixam-nos momentos diversificados do modo de ser e estar.
    Essa é a liberdade que nos é deixada pela vida.


    Abraçços



    SOL

    ResponderExcluir

  9. colocar vida no intervalo das palavras
    isso sim é poesia

    abração

    ResponderExcluir
  10. Obrigada pela partilha!
    Não conhecia. Gostei bastante.

    "Sou o intervalo
    entre a palavra e o gesto."

    "A dúvida me libertou
    deixando-me voar no espaço livre,
    não mais certo de nada
    senão da importância do voo."

    Muito Bom!

    ResponderExcluir
  11. Sensacionais poemas.

    Obrigado por compartilhar.

    Aquele abraço!

    ResponderExcluir
  12. Fred! Mandou muito bem me mandando a releitura do Antonio Cicero, curti pra caramba, coloquei até nos favoritos! haha
    E desses poemas compartilhados gostei principalmente do segundo!!

    um beijo!

    ResponderExcluir
  13. Acabei de ler tuas 12 Rotações. Adorei! Um texto afiado, com muita reflexão boa sobre poesia e fazer poético e que instiga aos que estão nessa seara a crescer na arte menor...

    ResponderExcluir
  14. E a isto pode chamar-se "viver".

    Excelente

    bjs

    ResponderExcluir
  15. A trajetória vale mais do que a chegada!abraço chefe!

    Marcelo de Barros

    ResponderExcluir
  16. Um magnífico trio.
    Gostei de todos.
    Caro amigo, tem um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Maravilha este intervalo para compartilhar a poesia de Daniel Lima. E se a poesia é boa deve ser compartilhada. E você faz isso muito bem.
    Abraços,

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!