sábado, 16 de março de 2013

METODOLOGIA


Falo, não me calo,
recomeço o canto;
entro pelo ralo,
depois me levanto.

Penso o que devo fazer,
ouço o que deve ser feito:
escrevo por escrever;

sentindo o melhor efeito,
identifico o prazer,
almejo o verso perfeito.

Conheço meu amor,
anulo meu ócio,
junto minha dor,
unifico meu ódio.
       

23 comentários:

  1. Metodologia encontra-se no e-book Lâmina de 3 Gumes, disponível para download aqui mesmo no blog.

    ResponderExcluir
  2. Essa poema tem seu lugar no mundo, poeta.
    Grande abraço,

    ResponderExcluir
  3. Uma metodologia sem método, porque Caju é Caju, livre para voar! :-)

    Beijos,

    ResponderExcluir
  4. Fred, a quebra de tom entre texto e título faz deste uma cereja no bolo. Melhor: uma semente que pipoca num cigarro. Aprecio muito essas dissidências. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. discurso do método de verso puro



    abraço

    ResponderExcluir
  6. Limerique

    O poeta quando é óbvio cronista
    Assunto não há que ele resista
    Boca no trombone
    É seu microfone
    Esse é preço que paga o artista.

    ResponderExcluir
  7. https://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/487781_10201425369855255_108181969_n.jpg

    ResponderExcluir
  8. Canta até que te doam as mãos de tanto escrever!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  9. digo e repito: o poeta é um espanto!
    bj grande, poeta

    ResponderExcluir
  10. Canta, canta, periquito: o teu canto é bonito! Se alguém não gostar, e eu duvido muito, que coma pouco... Meu abraço, cara!

    ResponderExcluir
  11. Escrever por escrever nunca é gratuito e daí sempre vem a poesia que se forma em versos que se unem para o sentido de se sentir o que aparentemente está oculto no pensamento.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  12. Pelo ralo não!
    rs...
    aiai...
    boa semana pra vc!
    bjo

    ResponderExcluir
  13. Respostas
    1. Com cheiro e gosto de Caju... almejando o verso perfeito.

      Aquele abraço!

      Excluir
  14. É mais ou menos a receita mesmo...
    Os resultados, no entanto, satisfazem - se não a nós, a outrem.
    Já vale!

    Bj

    ResponderExcluir
  15. Sistemático: segue seguindo o compasso da poética.
    Fé'liz pazcoa, camarada Cajuíno!

    ResponderExcluir
  16. Somos dois, também almejo o verso perfeito... rsrsrs...


    Desculpe o novo sumiço. Primeiro foi a internet, agora é o meu pc que está muito problemático. Mas tenho procurado manter os meus posts em dia, só os comentários nos blogs dos amigos que ficaram mesmo a desejar.

    Mas estou colocando as coisas em ordem.

    Ah, já ia esquecendo: ri com o seu último comentário. Bom, aquele é o meu poema-pegadinha. A ideia era criar um trocadilho: safado no sentido de "se safou"... A ideia era criar toda uma atmosfera sensual para enganar os leitores mesmo (risos).

    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Sempre há caminhos.
    Pelo sim ou pelo não...

    Fiquei alegremente perdida entre teus versos! ;)

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!