sábado, 10 de novembro de 2012

ALICE


Não sou exemplo, nem modelo,
mas não luto contra o coração;
às vezes penso no futuro
e o meu sonho vira pesadelo,
e tudo fica mais escuro.

Não sei o que me leva a sonhar,
talvez seja a minha solidão,
ou a minha vida fracassada;
sempre tenho que idealizar
algo que me deixe acordada.

Preferia continuar dormindo,
mas sempre desperto do sonho;
confronto a minha realidade,
vou fingindo que estou sorrindo
fazendo mentira em verdade.

Não tenho medo de viver,
mas no mundo de maravilhas,
que vive na minha memória,
qualquer coisa pode ocorrer,
até a mais incrível história.

Posso não ser a melhor pessoa,
porém, não machuco ninguém;
eis o lado bom da solidão:
eu sempre serei gente boa,
pois ninguém sente meu coração.

Ninguém me conhece, de fato,
sou uma pessoa sem importância;
só me conhecem o essencial,
só me relaciono por alto,
tudo sempre é superficial.

Por isso eu vivo no meu mundo,
onde não existe demagogia
e jamais existirá intrigas;
pois a cada novo segundo
as pessoas se tornam amigas.

A insônia destrói a minha vida,
ela não me deixa sonhar;
quando não consigo dormir
eu fico mais entristecida
e sem razão para sorrir.

Eu poderia alcançar o céu
com uma boa noite de sono;
mas o sonho jamais é eterno,
e quando a noite abaixa o véu
sou obrigada a sentir o inferno.

Caminho sem ter objetivo,
milhares de sonhos me esperam,
lamento não poder vivê-los;
mantenho o meu mundo bem vivo
para enfrentar os pesadelos.
   

46 comentários:

  1. Alice encontra-se no e-book Vênus, disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. isso doeu viu? a solidão dói uma dor de guerra que não passa e mata aos poucos. abraços

    ResponderExcluir
  3. E é isso que deve fazer:

    continuar a sonhar seus sonhos
    e trabalhar da forma que sabe
    para os realizar.

    Um abraço, Maria Luísa

    ResponderExcluir
  4. Os sonhos acordados é o que nos fazem vivos!

    Beijos, Fred

    ResponderExcluir
  5. A tua Alice vive o mundo morno das fantasias que a solidão proporciona, mas enleva-se só em pensar na riqueza de algo diferente. Inerte, segue sem caminhar e afoga os desejos na pasmaceira do quotidiano fugaz e voraz do lado de fora.
    Maravilha esse poema, amigo Caju!
    Grande abraço e ótimo sábado ao Fred!

    ResponderExcluir
  6. Limerique

    Impossível uma vida sem sonho
    Impraticável e estéril suponho
    Mas pior é pesadelo
    Não desejemos tê-lo
    Porque torna o dormir medonho.

    ResponderExcluir
  7. entre a realidade e o sonho: o verso sopra o visgo

    abraço

    ResponderExcluir
  8. Seu mundo impar em desejos e solidão. Adorei o texto.
    Parabéns!!!!
    beijos!!

    ResponderExcluir
  9. "Posso não ser a melhor pessoa,
    porém, não machuco ninguém;
    eis o lado bom da solidão:
    eu sempre serei gente boa,
    pois ninguém sente meu coração."

    Maravilha!
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. foi um nº ao acaso, como o amor que acontece por acaso ! :)
    a última estrofe (e não só), fantástica em especial!

    ResponderExcluir
  11. Acho que compreendo muito do mundo da sua Alice... E compreender ás vezes é ruim, bom é caminhar por aí, num mundo imaginário, ainda que voltar se faça necessário.

    Lindo!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  12. Penso que os sonhos são para amenizar a realidade... gostei dos da Alice! :)

    Beijo e uma flor.

    ResponderExcluir
  13. A solidão, na maioria dos casos, é apenas um estado de espírito.
    Mas não conheço a Alice...
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  14. Não saberia explicar exatamente, mas Alice de alguma forma se identificou com os Manuscritos de Felipa, da Adélia Prado.
    Muito bem descrita, a personalidade dela.
    Abraço, Fred.

    ResponderExcluir
  15. de olhos bem abertos é quando os piores pesadelos nos alcançam!
    Mandou bem na escolha do mestre, Caju
    bj grandão

    ResponderExcluir
  16. Muito bom, Fred. Intrigante e diferente. Grata por tê-lo defenestrado!

    ResponderExcluir
  17. Essa Alice tem cruza com Polyana. E vai bem um "jogo do contente" quando a realidade aperta o calo!

    ResponderExcluir
  18. Olá, amigo Fred!
    O "eu lírico", Alice, tem uma vida dramática, mas não se distancia muito da realidade. Sua vida virou arte (poesia) muito bem inspirada e engendrada em maravilhosas oitavas. Não tem uma vida da "Alice do País das Maravilhas", porém é guerreira e encontrará Morfeu muito antes de Tânatos.
    Poema espetacular, amigo!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  19. ...quantas Alices há por aí!!!

    entrei sem pedir licença,
    e adorei tudo que ví!

    bom dia, poeta!

    ResponderExcluir
  20. Muito bom esse Alice, amigo Fred. Plagiando você eu diria que é do caralho! Meu abraço.

    ResponderExcluir
  21. Esqueci de dizer Isso sim, é que é uma figura porreta, essa do charuto! Meu abraço.

    ResponderExcluir
  22. Os invisíveis são os únicos não analisados. Mas também alimentam seus pesadelos, como Alice. Bjs.

    ResponderExcluir
  23. O q eu gosto nos teus textos é a simplicidade das palavras unidas à multipilicidade q trazem.
    Mesmo!

    Abraço, Caju!

    ResponderExcluir
  24. Essa tua Alice (que agora é de todos os leitores) é bem mais interessante que as Alices que conheço!

    ResponderExcluir
  25. "Alice quem disse que o sonho pode não ser real"

    saudades daqui Fred!

    ResponderExcluir
  26. Confesso que cada vez mais entendo a misantropia.

    ResponderExcluir
  27. Coisa fina!
    A síndrome de Alice
    Todos nós temos!

    ResponderExcluir
  28. E assim caminham as " Alices" da vida. Entre sonhos e pesadelos. Entre o dormir e acordar.
    Tristes somos nós. Perdidos. Caminhando sem rumo..
    E vamos em frente.

    bj

    ResponderExcluir
  29. Carissimo, a primeira estrofe ja matou o resto.... (muito boa!)


    bjsMeus
    CAtita

    ResponderExcluir
  30. o mundo das maravilhas que parece sempre ser o melhor lugar para se refugiar...talvez único no mundo para se estar fora do alcance de pessoas sem nexo, sem solução...

    uma ótima noite

    ResponderExcluir
  31. Alice sempre nos deixa um lição:
    Sonhar é preciso porque se não sonhar, morremos!
    Fantático texto!! Parabéns! Beijos!

    ResponderExcluir
  32. Não lutar contra o coração, preciso aprender isso antes de ficar velhinha rs...

    ResponderExcluir
  33. "Não sou exemplo, nem modelo,
    mas não luto contra o coração;[...]
    milhares de sonhos me esperam,
    lamento não poder vivê-los;
    mantenho o meu mundo bem vivo
    para enfrentar os pesadelos."
    Palavras tuas!
    Vale, sempre, a supremacia dum Amor.
    Parabéns.


    Abraços



    SOL

    ResponderExcluir
  34. Olá,
    Gostaria de informar que desativei o blog “Vê se ri um pouco”, que estava com problemas de ordem técnica que não consegui solucionar, mas abri um novo blog, que já tem uma nova postagem. Se quiser pode me seguir e me ler neste novo espaço. Beijos. Te seguindo, novamente rsrs.

    Endereço: palavreandoemocoes.blogspot.com
    Gislãne Gonçalves

    ResponderExcluir
  35. Boa tarde, Caju. Venho agradecer as suas visitas no meu espaço e dizer que este blog contém poesias muito expressivas, encontrado amigos nos comentários.
    As poesias são de sua autoria?
    Se forem, parabéns, caso não, parabenize aos poetas por mim.
    Obrigada.
    Tenha um fim de semana de paz!

    ResponderExcluir
  36. Ei, que coisa.
    Tanta verdade, tanto sentimento.
    Lindo demais...

    Beijo

    ResponderExcluir
  37. Que espetáculo! E agora, acho difícil não se identificar, nem que seja um pouco, com a Alice.

    "eis o lado bom da solidão:
    eu sempre serei gente boa,
    pois ninguém sente meu coração."

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!