sábado, 8 de setembro de 2012

NA AVENIDA


Pequeno cidadão esperando
avermelhar a luz do sinal
para atravessar a avenida,
se distraiu lendo o jornal
e colaram-lhe um panfleto
bem na sua espinha dorsal.

Assustou-se quando leu:
“Vote certo, vote Juvenal!”
Irritou-se e logo perguntou:
“Quem se atreveu a tal?”
Como todos assim estavam,
julgou ser algo normal.

Logo começou a desconfiar
quando avistou um animal
adesivado por todo o corpo,
lhe lembrava um carnaval;
existia mais propaganda
do que cana num canavial.

Assustado com tudo aquilo,
pensou ser um sonho surreal
e beliscou-se para acordar:
nada mudou, pois era real,
era o mais bizarro pesadelo
de uma campanha eleitoral.
        

22 comentários:

  1. Na avenida encontra-se no e-book Pentágono, disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Chegou o tempo de gente taciturna
    Que parece ter saído de uma furna
    Te julgam um otário
    Buscam bom salário
    Todos de olhos na maldita urna.

    ResponderExcluir
  3. Olá Fred, querido amigo,
    Há muitos candidatos querendo nos chamar de otários!
    Aqui na minha cidade (interior de SP)
    são 180 candidatos para 11 vagas!

    Deixo meus aplauso a sua poesia!!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Ah, Fred,

    Não esqueci de tu e nem da proposta para o livro, mas agosto me pegou de jeito e setembro chega com promessas doidas de escritas acadêmicas!!! Assim, que der, mando minha proposta...minha promessa será cumprida...não sou política! Apenas uma poeta desgrenhada que se meteu a lecionar...

    Maltrata ver tantos panfletos pelas ruas, a sujar nossas mentes e nossas calçadas! Maltrata ver (a falta de..) discursos no horário (não menos nobre!) político: uma pouca vergonha! Gente maluca que se pretende político! Político maluco que se pretende gente...e ai dos pobres diabos que se aventuram a escolher um (que se salve) nesse lamaçal!

    Bom sábado por aí!

    Abraço do Pedra

    ResponderExcluir
  5. Oi Fred, como vai?
    A Isiane me mostrou seus poemas, seu blog e cá estou pra dizer que vou usá-los no "Um Poema em Cada Árvore", posso?

    Passa por aqui e dá uma olhada no que é https://www.facebook.com/events/480692891948809/

    Abraços
    Larissa

    ResponderExcluir
  6. Sensacional; o texto e a rítmica.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Adorei! Totalmente ritmado no DEScompasso das campanhas eleitorais!!!

    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  8. Hahaha... sempre é bom ler-te com sua ironia desbocada!

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  9. adorei a ritmada ironia (pena ser tão verdade a bizarrice...)

    beijo pra ti, Fred!

    ResponderExcluir
  10. é um vale tudo nesta disputa do voto da vítima, quer dizer eleitor



    abraço

    ResponderExcluir
  11. Mente que nem sente... rs

    Coisas da politica!

    bjs meus

    CAtita

    ResponderExcluir
  12. mas você nem me fale em campanha eleitoral, que a descrença já reaparece!

    ResponderExcluir
  13. Está no ar a temporada dos pesadelos.

    bj

    ResponderExcluir
  14. Fantástico!

    É sempre a mesma coisa, a mesma poluição...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  15. O pior pesadelo é depois das eleições!!!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Não estão perdoando nem animais, é? Meu Deus!! Onde vamos parar?

    ResponderExcluir
  17. Ah... e bem lembrado! Pink Floyd!! Hehehehe...

    Bjos

    ResponderExcluir
  18. Horário Eleitoral é muito bom pra dar umas boas risadas. Cada figura! Tragicômicos!

    ResponderExcluir
  19. tem cada coisa nessa eleição - que é rir pra não chorar né Fred

    grande beijo!

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!