sábado, 25 de agosto de 2012

RITUAL


Feche seus olhos
pelo tempo que for preciso.
Não se envergonhe,
aos poucos virá um sorriso.

Sinta tocar
a sua música preferida.
Agora chora,
abra os olhos que é a vida.
    

17 comentários:

  1. Ritual encontrar-se-á no e-book F L O y D, em breve, disponível para download no blog. Há também um vídeo do poema no CAJUTUBE.

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito, sinceramente, um dos meus preferidos dos teus.
    direto.

    ResponderExcluir
  3. ou como disse Walter Franco: "tudo é uma questão de manter, a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo",



    a
    braço

    ResponderExcluir
  4. Vidas construídas de olhos abertos...
    Singelo poema.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Maravilha, Fred! Catarse...
    Abraço, amigo, grande poeta!!!

    ResponderExcluir
  6. A vida é bela!
    O amor é lindo!
    A felicidade quase existe!


    bjs meus

    Catita

    ResponderExcluir
  7. Limerique

    Trás de suas pálpebras está o sonho
    À frente, esse mundo velho bisonho
    Mas é a vida
    De dores sentida
    Mas que as vezes te deixa risonho.

    ResponderExcluir
  8. Lindo, Fred... lindo!...

    Quase um passo a passo para encontrar o mundo!...

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  9. Do jeito que anda a vida, acho que vou abrir um olho de cada vez...

    ResponderExcluir
  10. Se a coluna Confrontos e confluências estivesse ativa, seria interessante relacioná=lo com o Patriarca, de Lucas do Perferia(http://periferiadomundo.blogspot.com.br/2012/08/o-patriarca.html)

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!