sábado, 24 de março de 2012

LUNAR


A lua vai virar um sorriso,
(minguante, para ser preciso).
Rindo sem nenhuma alegria,
a lua desaparece aos poucos;
enquanto isso, cresce a agonia
dos românticos e dos loucos.
— A lua desaparece do céu,
a poesia fica mais cruel.

Não consigo ver meu futuro,
a lua é nova e o céu está escuro.
Vou procurar algum abrigo,
no qual eu possa me esconder;
vou procurar algum amigo,
no qual eu possa me acolher.
— Neste céu sem nenhuma lua,
a poesia caminha na rua.

Eu permaneço descontente,
a lua, como a dor, é crescente.
Tento fugir deste abandono,
mas nunca consigo escapar;
há noites que perdi meu sono,
que perdi a razão de sonhar.
— A lua cresce cada vez mais,
a poesia descansa em paz.

O ápice da dor do poeta:
a lua, enfim, está completa.
Bom para todos os amantes,
mas não para quem tem saudade
daqueles que estão mais distantes
da sua própria afetividade.
— Enquanto a lua concebe a cura,
a poesia leva à loucura.

Em todas as fases lunares,
ela é a rainha dos mares.
De uma maneira quase mágica
controla o nível da maré,
minha quantidade de lágrimas
e o tamanho da minha fé.
— As fases da lua têm suas funções,
a poesia destrói os corações.
      

40 comentários:

  1. Lunar encontra-se no e-book Monopólio da Solidão, disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. Vejo na lua
    Gorducha e brilhante
    Uma mulher nua.

    ResponderExcluir
  3. Inspiradíssimo!

    Amantes da lua, como eu, cá se deleitaram, com as fases da lua e as faces que durante o ciclo, a gente apresenta,


    um beijo!

    ResponderExcluir
  4. Magnífico poema que carrega os luares de todas as luas...
    Encantou-me!!! Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Bonito Fred... Estou postando um fragmento no Facebook, ok? Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Salve, salve o sábado nosso de cada semana e a tua poesia!
    Bjo, bjo

    ResponderExcluir
  7. "A poesia caminha na rua." gostei!

    ResponderExcluir
  8. Uma beleza, Fred! Gostei mesmo.
    Beijo beijo.

    ResponderExcluir
  9. "Apenas apanhei na beira-mar
    Um táxi pra estação lunar"
    Bom find!

    ResponderExcluir
  10. O´lua, enluara
    e cura essa loucura
    d´olhos do poeta.

    Belissima poesia, Fred. Adorei!

    ResponderExcluir
  11. O´lua, enluara
    e cura essa locura
    dos olhos do poeta.

    Belissima poesia, Fred. Adorei!

    ResponderExcluir
  12. A poesia sempre viva, de alguma forma, em todas as fase da lua.

    ResponderExcluir
  13. Fred,
    Quando lhe caiu isso na alma, estava num estado que arrisco chamar de etéreo. Esplêndido,meu caro.

    ResponderExcluir
  14. "Poetas, seresteiros, namorados
    é chegada a hora de escrver e cantar
    talzvez as derradeiras noites de luar..."

    Lembrei de Lunik 9

    Poema lindo demais nesse sábado chuvoso!

    ResponderExcluir
  15. a poesia destrói tudo, nada contenta a palavra em seu átimo de verso



    abraço

    ResponderExcluir
  16. Simplesmente adorei!
    Sei que vou soar mega repetitiva, mas nem tenho como deixar de dizer que super me identifiquei com o poema.

    ResponderExcluir
  17. que lindo!
    a lua magnetiza minha alma e minha poesia
    principalmente a vermelha,
    filha da primavera!

    ResponderExcluir
  18. baita poema, Fred! eu gostei demais

    e adorei esses sábados de cajuína...rs

    beijooo

    ResponderExcluir
  19. A lua faz do poeta, apenas um humano e isso dói.A poesia faz do poeta, a própria dor e isso é um des/contentamento devastador.
    bj imenso, meu poeta tão querido

    ResponderExcluir
  20. Bela inspiração lunar :))
    Beijo

    ResponderExcluir
  21. Essa sua lua é bem poderosa, hein Fred? Interfere até na maré de suas lágrimas. Gostei, amigo! Beijo!

    ResponderExcluir
  22. Muito lindas essas mudanças de fase provocando novas emoções no coração do poeta. Grata pela visita Fred. Seus poemas são muito belos. Abraços.

    ResponderExcluir
  23. Muito bom esse "passeio" pelas fases da lua e sua associação com a poesia =)

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  24. a lua, esse satélite pequenino que acaba sempre por nós comandar

    beijinho

    ResponderExcluir
  25. A poesia destrói e reconstrói os corações! :)

    ResponderExcluir
  26. cara, perfeito como pôde racionalizar - sem perder a emoção - as relações da Poesia com a Lua!
    as simbologias bem marcadas e as rimas polidas dão uma refinação desmedida.
    parabéns!
    adorei!

    beijo

    ResponderExcluir
  27. A Lua de fato se manifesta em tudo. Poesia Lunar! :)

    ResponderExcluir
  28. Lindo, lindo demais, Fred! A lua é pura magia mesmo, assim como a sua poesia!

    Bjo grande.

    ResponderExcluir
  29. adorei! que coisa mais linda, caju.
    hoje mesmo eu reparava no sorriso da lua.
    lindo!

    ResponderExcluir
  30. Bonita poesia lunar.
    Realmente a lua tem tanto de beleza como de mistério...
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Quanta inspiração, belo poema....

    ResponderExcluir
  32. Maravilha de encadeamento!
    Pura substância poética, expressa-se sendo o que é...
    Abraços, bons caminhos!

    ResponderExcluir
  33. tua
    a lua manifesta
    a dor do astrólogo
    o tempo do poeta
    sua
    no peito do anjo
    no manto,na testa
    algo de leve
    alto te leva
    a fase
    à
    Lua

    ResponderExcluir
  34. Que fase(s)!!!

    A lua desnuda a alma semi/eclipse do poeta!

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  35. Lindíssimo,Fred! Lua,lunares,lunarium,que beleza!

    ResponderExcluir
  36. Todas as missões da lua.

    Abração, Fred.

    ResponderExcluir
  37. Muito Bom !!!! E obrigado pela vizita é uma honra ter você como leitor.

    Abraços

    ResponderExcluir
  38. Muito Bom !!!! E obrigado pela vizita é uma honra ter você como leitor.

    Abraços

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!