sábado, 17 de março de 2012

CONTRADIÇÕES COERENTES

XV

Atenda meu desejo
e morra...
Escute meus olhos
e escute o coração
(ou aquele filme)
e corra...
Atrás.

Acenda minha lâmpada
e corra...
Veja minha voz
e veja o coração
(ou aquela música)
e morra...
Em paz.
        

26 comentários:

  1. Contradições coerentes encontra-se, na íntegra, no e-book homônimo, disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. Fale pelo nariz
    Sinta pelo ouvido
    Cheire o que se diz.

    ResponderExcluir
  3. Dos mais lindos que já li aqui, Fred!
    Beleza pura...
    Bjo!

    ResponderExcluir
  4. O poeta continua dando uma de surfista kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Não sei se é possível morrer em paz. Será? rs
    bacio

    ResponderExcluir
  6. Quantas vezes diz não a cabeça e sim o coração...
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Ave!

    Das poesias suas que mais gostei.

    Antagonismos perfeitos,


    bjkas

    ResponderExcluir
  8. Curti seu espaço e seus versos...

    Meu beijo!

    ResponderExcluir
  9. a luz que se acende, a luz que se apaga



    abraço

    ResponderExcluir
  10. a linha é tênue entre o correr e o morrer. E tenho dito!

    ResponderExcluir
  11. Precisava, neste sábado, de um caju. Corri pra chupar um e acender uma lâmpada por aqui. Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Lindo poema, Eros-Tanatos...

    Um abraço

    ResponderExcluir
  13. O espaço-luz entre ouvir o silêncio e iniciar a ação...

    Lindo!

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Me empresta este poema? hahaha!

    Sempre bom passar por aqui!

    ResponderExcluir
  15. um momento de silencio por favor
    a poesia quer falar
    abraços

    ResponderExcluir
  16. esse podia ter sido escrito por mim, né fred? :) bjo!

    ResponderExcluir
  17. Isso fez o total sentido para mim.

    Vivo num momento de intensa contradição coerente - promessas não são atos, ações não se confundem com garantias.

    Escutar os olhos requer tempo.
    Ver a voz requer atenção e o mínimo de interesse.

    bonito o que escreveu!

    ps.: escutei Sá, Rodrix & Guarabyra esses dias na Nova Brasil! Lembrei do seu comentário outro dia!

    boa semana!

    ResponderExcluir
  18. e às vezes não morre, vai... volta e mesmo assim não morre

    beijo

    ResponderExcluir
  19. morreria mil vezes na tua poesia....

    ResponderExcluir
  20. Pode ou não morrer, nunca se sabe...
    Abraqço, Fred.

    ResponderExcluir
  21. perfeito como sempre tudo que leio por aqui neh
    beijosss amigo e aproveite e curta a pagina no face

    https://www.facebook.com/flordecerejas

    https://www.facebook.com/pages/Sonhadora-de-Sentimentos/283087021714824

    ResponderExcluir
  22. hipercoerentes!
    afinal, percepções são mesmo mescla de sentidos.

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!