sábado, 7 de janeiro de 2012

PREÂMBULO


Ponto de partida de uma poesia,
versos experimentais
que não têm um futuro definido.
Uma construção poética
que não sei onde irá parar (se parar).
A busca sem limites
para se encaixar no lugar.
Lugar ainda indefinido
que um dia sei que vou encontrar.
     

32 comentários:

  1. Preâmbulo encontra-se no e-book Poemas de Gaveta, disponível para download no blog.

    ResponderExcluir
  2. Tomara que todos encontrem o lugar que lhes são reservado. Que nos é. Que a vida seja boa, doce e bela.

    ResponderExcluir
  3. A construção da poesia muita das vezes dói, contudo quando ela se define, o poeta se embebeda de satisfação e prazer. Um parto, por assim dizer!
    Belo escrito, cajuíno amigo!
    Muita Paz!

    ResponderExcluir
  4. Acontece o mesmo comigo.
    Nunca sei onde vou parar...
    Caro amigo, tem um bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Perfeito, amigo Fred!
    Muito, muito bem elaborados os seus versos!
    Adorei, amigo!
    Abraço bem forte

    Em tempo: Você me perguntou, lá no Ad Litteram, se meu livro está esgotado. Não, Fred, não está. Acha-se à venda em www.asabeca.com ou www.cultura.com.br

    ResponderExcluir
  6. a beleza está na busca. por isso fazemos poesia.

    ResponderExcluir
  7. É assim mesmo. Mas quando juntas aquelas palavras de gaveta, de futuro incerto, como fizeste agora, acabaste de poetar. E pela via mais certa: a da intuição.

    Beleza, meu caro.

    abraço.

    ResponderExcluir
  8. Experimentei ler-te e ouvir música clássica ao mesmo tempo. Que coisa boa, Caju! Lindo poema. Au revoir :)

    ResponderExcluir
  9. Como não sou peota, só posso falar de minhas experiências em prosa: em geral o texto manda em mim, começo e ele me conduz a um muitas vezes inesperado. Ótima postagem Caju. JAIR.

    ResponderExcluir
  10. E não ha de parar
    não ha nada definido

    abraços

    ResponderExcluir
  11. Quando encontrar o lugar
    não se-pare mais.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Essa luta com as palavras é fascinante...Vamos a nocaute sempre...E daí parimos entrelinhas e entrelaçamos os nossos aos sonhos alheios...

    ResponderExcluir
  13. Certamente, amigo Fred encontrarás a solidez do estilo, se ainda não o tens.
    Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  14. Preâmbulo, é apenas o começo..tudo virá!
    Sim, realizará o encontro!

    Bom isso..!

    Juliana

    ResponderExcluir
  15. gostei mais dele na segunda vez que li, acho que merece uma terceira. hehehe.

    ResponderExcluir
  16. Aí! Tomara que encontre e que seja feliz!

    ResponderExcluir
  17. olha... foi bem com esta que criei o Transfigurações... um saber não sabendo no que vai dar...cheio de experimentações...rs!

    Grata pela visita, comentário e companhia!
    Também acompanharei teus sábados...

    Beijinho com admiração!

    ResponderExcluir
  18. Eu aqui tow trabalhando c pensando que eu sou poeta hahahahahahahhaha

    nós sofre mas quando alguém lê e comenta nos goza

    ResponderExcluir
  19. sem perceber, as vezes se encontra algo bem abaixo do nariz...beijo!

    ResponderExcluir
  20. Tudo fica assim principalmente quando escrevemos, não é?!

    Ao menos comigo sim!

    ResponderExcluir
  21. hahaha Adorei *-*
    Muito lindo o Blog, meus parabéns, estou seguindo sem medo hehehe :D
    Abração .

    Ewerton Lenildo - Academia de Leitura
    papeldeumlivro.blogspot.com
    @Papeldeumlivro

    ResponderExcluir
  22. nada nunca se encaixa
    a vida nunca se define!

    bjs, k.

    ResponderExcluir
  23. Estou na eterna busca da palavra certa ou da incerta palavra certa.

    ResponderExcluir
  24. Se a dúvida move a pena (nossa, sou antiga, rs...)... Que nunca encontre o mapa!!!

    O seu existencialismo enriquece ;)

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  25. Opa! Sumi, né? Voltei! Agora postarei sempre e virei sempre ver seus novos textos.

    beeeeijos

    ResponderExcluir
  26. Fred, gostaria de te pedir uma ajuda... Se possível, poderias me passar algumas 'orientações' em relação a lançamento de livros? Caso der pra me ajudar; manda teu e-mail?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  27. Difícil saber onde se vai chegar. Na poesia estamos sempre partindo, mesmo que o destino seja incerto.

    bj

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!