sábado, 5 de novembro de 2011

FRITANDO OVOS

Vencido pela solidão, concluiu:
o amor é a moradia do caos.
Naquela manhã, não se barbeou,
passou a mão nos cabelos crespos
e viu o seu reflexo no espelho,
perdeu-se nos olhos castanhos
viu como foi pouco com todos...
O seu afeto não foi suficiente
para deixar saudades na amada.
Naquela mesma manhã, decidiu:
viverá caoticamente na estrada.
   

39 comentários:

  1. Fritando ovos encontra-se no e-book Um Título Pouco Importa, disponível para download aqui mesmo no blog.

    ResponderExcluir
  2. Tu tens um dom especial para a escrita, gosto, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Gostei da moradia do caos e viver caoticamente na estrada é um bom caminho! :-)
    Beijos,

    ResponderExcluir
  4. Fred,

    adorei sua inventividade para biografar os seres. Vc tem uma fauna e tanto!

    E o on the road a que o amor se propôs o fará ver que a morada o habita, paradoxicamente.

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  5. "o amor é a moradia do caos"

    Eu não saberia dizer melhor...

    ResponderExcluir
  6. particularmente: no caos é que me encontro!

    ResponderExcluir
  7. ainda hj guardo esse na sua letra e nem tinha título.
    =D
    saudades!

    Patrícia.

    ResponderExcluir
  8. A culpa sim promove o caos... em nós mesmos!

    ResponderExcluir
  9. Eis o caos
    o porto seguro da solidão
    muito forte
    abraços

    ResponderExcluir
  10. A solidão, sempre sendo um dos campos mais férteis para a poesia (e um dos quais mais admiro), quase sempre nos leva a um lugar de profunda reflexão e impactantes conclusões - como perceber-se insuficiente. O caos se estabelece dentro de nós. A poesia nasce. E os leitores agradecem.

    Beijos.
    Mima.

    ResponderExcluir
  11. Poeta ao meu simples ponto de vista teu poema remeteu ao livro da Clarice em água viva. Inquietante caos. O que seria da existência sem o caos?

    ResponderExcluir
  12. on the road, nada mais caótico que a estrada, que o amor, que a desilusão, expectativas e ânsias de viver. tudo junto e misturado, nesse liquidificador de sentimentos. caótico, tudo sempre foi e assim será.

    bom "te descobrir". prazerzão.

    bjs, k.

    ResponderExcluir
  13. e o poeta da silidão manda mais um belo poema

    ResponderExcluir
  14. o caos tem uma estrada de dez venturas,


    abraço

    ResponderExcluir
  15. vai "caosar" por aí, pelas estradas. bonito!

    ResponderExcluir
  16. O que seria do amor sem o caos? "Eu [não] quero a sorte de um amor tranquilo"...

    ResponderExcluir
  17. "Eu já estou com o pé nessa estrada..."

    Lindo demais esse poema!

    Bjos

    ResponderExcluir
  18. Cada um procura a estrada e o rumo que lhe cai bem.
    ;-)

    Abraço grande, e tenha um lindo e feliz domingo.

    Cid@

    ResponderExcluir
  19. o convívio...
    acho bem mais difícil colocar o "Amor" em um poema... comparado a isso um rinoceronte é um calango!

    boa semana!

    ResponderExcluir
  20. "o amor é a moradia do caos". Com toda certeza.
    Sua escrita me fascina por completo... Tenho que te seguir.
    Uma ótima tarde.

    ResponderExcluir
  21. Sim, a epígrafe mal feita é minha! rs
    Adorei o poema, lembra um pouco do estilo que costumo escrever.

    ResponderExcluir
  22. O amor é um caos mesmo, mas não de destruição. Sim de transformação. Belo poema, meu caro. Obrigada pela visita em meu blog. Já sabe que gosto muito dos seus poemas, né? Beijos ;)

    ResponderExcluir
  23. Amigo Fred, espero que esse caos seja passageiro. Muita paz e muito amor pra você. Beijos!

    ResponderExcluir
  24. o mar agora
    náufrago ouro puro
    desemboca nas furnas
    das virilhas férteis
    onde se fragmenta
    o horizonte:

    - esta estrada -

    ResponderExcluir
  25. muito bom, fred!
    prazer ler esse poema.

    antes do Amor havia o Caos...
    está lá em uma de nossas origens mitológicas.

    beijoca!

    ResponderExcluir
  26. O caos corrompeu o ovo fazendo do amor uma casca quebrada!

    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  27. O tempo cura a solidão
    Na verdade, acostumamos a ela.

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. Como diria Caio F ''se você não tem mais amor, você ainda tem a estrada...'' por ai =]

    adorei teu blog!

    ResponderExcluir
  30. Fantástico!

    Quanta coisa boa por aqui...

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!