sábado, 17 de setembro de 2011

CONSUMO IMEDIATO

Consuma-me o quanto você puder,
coma-me de garfo, faca e colher;
devora-me no lugar que estiver,
seja deitado, sentado ou em pé.
  

26 comentários:

  1. Consumo imediato encontra-se no e-book homônimo, disponível para download no blog. Há também um vídeo do poema no CAJUTUBE.

    ResponderExcluir
  2. delícia de poema-refém, gosto bom de entrega!

    ResponderExcluir
  3. Com sabor de caju então...delícia, rs...
    Beijo, Fred

    ResponderExcluir
  4. Bom apetite.. não esquecer as entradas:)

    ResponderExcluir
  5. Sabor,fruta,doce,azedinho,ah! cajuzinho!Olhe eu fazendo versos rsssssssss.Belos e saborosos versos com gosto de caju.Tenha um lindo final de semana.Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Show, Fred!
    Toma lá, dá cá...
    Consumismo exacerbado...rs...
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. ;D
    Deu fome de tantas coisas agora. rs
    beijo Cajú.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Fiz uma poesia quando li essa sua pela primeira vez. Coloco aqui só para lembrar que as confluências existem e andam sempre por aí.

    VITRINE

    Na vitrine, pensei que eras manequim,
    Vestias um colete de borboletas
    E uma dessas calças de brim

    Tive vontade de comprar-te
    E levar-te para minha casa

    Te observaria por horas a fio
    E te consumiria por toda a vida

    Então percebi
    Que não estavas a venda!

    ResponderExcluir
  10. Consumo imediato mesmo hasuahushas

    muito bom beijos

    ResponderExcluir
  11. Versos urgentes...
    Gostei da intensidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Nada como deixar acontecer quando tiver de acontecer... Amei!!! rs

    ResponderExcluir
  13. Haha...
    Muito bom...

    Consumo Imediato... tudo se corresponde: título, versos curtos, adorei!


    Beijos =)

    ResponderExcluir
  14. ... e soda na ultima lavada ...

    Muito bom!!

    ResponderExcluir
  15. Cadê a sua foto? Sumiu? Eu gostava dela!

    ResponderExcluir
  16. Respondendo a sua pergunta ao meu último poema, Fred: Sim, é sincrônico. E o seu é de dar água na boca!

    Beijos :)

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!