sábado, 9 de julho de 2011

BOM DE BOLA

Travou com a miséria
com sua força física.

Driblou a pobreza
com seu toque ágil.

Tabelou com a vida
com entrosamento.

Agarrou-se aos ares
com um salto mágico.

Usou a sua cabeça
para definir o jogo.

Abraçou-se ao mundo
como se fosse deus.

Levantou o troféu
erguendo até a alma.
  

32 comentários:

  1. Bom de bola encontra-se no e-book Contradições Coerentes, disponível para download aqui mesmo no blog. Há também um vídeo do poema no CAJUTUBE, vídeo este, também dísponível em Cronisias (09/06/2011).

    ResponderExcluir
  2. Um verdadeiro campeão!
    beijinho

    ResponderExcluir
  3. Um craque, um guerreiro!

    Muito bom, como sempre!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Ressignificando o futebol ;)
    Gostado como sempre...

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  5. Humm, esse já conhecia junto com o vídeo. Coisa de craque!!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. esse é o próprio craque brasileiro :D

    ResponderExcluir
  7. letras futebolísticas. (:

    beijo.

    ResponderExcluir
  8. nem preciso dizer que esse poema é massa

    ResponderExcluir
  9. Que lindo esse Bom de Bola!
    Amei! :)

    Fred, obrigada pela visitinha e pelo carinho.

    Tenha uma linda e feliz semana.

    Abraço amigo,

    Cid@

    ResponderExcluir
  10. Só ergue o troféu aquele que tem coragem e sabe o que quer.

    bj

    ResponderExcluir
  11. Me lembrou Chico Buarque. Perfeito!

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  12. Olé! caro poeta!
    Boa poesia a sua.
    Agradeço a gentileza com meu soneto.

    Grande abraço e boa semana!

    ResponderExcluir
  13. Belíssimo, Boma na vida! Isso é o que importa, parabéns pelo seu talento também, e obrigada por visitar, comentar e seguir o meu humilde cantinho.
    Bela semana.

    ResponderExcluir
  14. Incrível sua forma de fazer poesia com tudo.
    Em tudo tuas palavras fazem morada!
    Ótima semana.

    ResponderExcluir
  15. Olá Fred! Faz tempo que não passo aqui né? Mas voltarei em breve :)

    ResponderExcluir
  16. Nem o futebol escapou de tuas belissimas palavras!


    :)

    ResponderExcluir
  17. Singular guerreiro e grandioso vencedor!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. Ótimo trabalho! Muita sincronia... Será mesmo que conseguimos definir este jogo? Se sim, maravilha! se não, paciência!

    Quanto ao acrostico eu já acho q seu charme é justamente destacar as iniciais... costumo ser discreta, mas em se tratando de acrósticos gosto do destaque.... mas prometo que quando eu fizer um pra vc, não destacarei, combinado?

    Grata!

    bjs meus

    Catita

    ResponderExcluir
  19. Fred, agradeço pelo comentário.
    O cantinho que você visitou tem algumas das minhas divagações, as coisas que tenho visto, sentido... mas ultimamente anda um pouco vazio... Acho que as emoções me deram férias!
    Gostei do seu blog, ficarei por aqui!

    ResponderExcluir
  20. O verdadeiro guerreiro!!!!
    "Levantou o troféu
    erguendo até a alma" - perfeito!!!!
    Bjo!

    ResponderExcluir
  21. você é muito bom com as palavras, confortável e dançante demais teus versos, é muito bom ler o que você escreve.

    ResponderExcluir
  22. Como já dito... também me lembrou Chico, o Buarque! Muito bom! =)

    ResponderExcluir
  23. obrigado pela visita, e volte sempre.
    seu texto ta muito om, com palavras que dão vontade de serem lindas e esses cajus... (:

    beijos

    ResponderExcluir
  24. Um forte abraço em você. Estou excluindo hoje e já esse blog. Conto contigo nos seguintes endereços: www.abordagenseimpressões.com (Site) e no http://abordagenseimpressoes.com/press (Blog Wordpress).
    Gostaria de lembrar que para eu comentar é preciso que espaço para comentário tenha a opção “nome e url”.
    Valeu mesmo e vamos recomeçar.

    ResponderExcluir
  25. Um poema cheio de gingado.
    E assim somos todos nós.
    Lembrei-me um pouco da música
    " Construção" do Chico.

    beijos

    ResponderExcluir
  26. Adorei...uma canção de campeão! Beijos. Au revoir.

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!