sábado, 7 de maio de 2011

JARDIM DA AUSÊNCIA

Vou preparando a terra
e fazendo meus planos,
triste, como quem erra;
Vou organizando espaços
e trazendo mudas verdes
juntamente com os jarros;
vou regando esse chão
com frequência diária,
como se fosse uma oração;
vou fazendo o necessário
e você sequer aparece
pois, diz não ter horário.

Você não dar o ar da graça
mas todo mundo que passa
me faz uma vaga saudação
ou uma palavra de aprovação;
o jardim prestes a florescer,
eu aqui, mas falta você;
o jardim, enfim, florido
e o meu coração, colorido.

Muitos falam do jardim,
mas só falam por falar
isso nem importa pra mim;
eu continuo nessa reza
e o tempo vai passando,
passando tão depressa;
o meu jardim vai morrer,
faltou-me água no verão
não tenho mais o que fazer;
meu esforço não adiantou,
o jardim entristecia todos,
até você mesma chorou.

Mas, se poupe do ridículo
com lágrimas de crocodilo;
o seu preciosíssimo tempo
não foi meu nenhum momento,
vá chorar noutra freguesia
como fez todos os dias;
o jardim de minha presença
é o jardim de sua ausência.
  

28 comentários:

  1. Jardim da ausência encontra-se no e-book Jardim da Ausência, disponível para download aqui mesmo no blog. Há também um vídeo do poema no CAJUTUBE, vídeo este, também dísponível em Poetas de Marte (29/03/2011).

    ResponderExcluir
  2. Como Patativa diz, "É como cuidar de um jardim. Uma flor que nasceu que morreu, que nasceu que moreu, que nasceu!!!!"

    ResponderExcluir
  3. Fred,

    Vou ficar regando esses versos durante todo este sábado aqui na minha memória.
    Lindo!

    Um beijinho.

    ResponderExcluir
  4. Você fez a sua parte, o resto.....
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Jardim com flor sem ninguém pra apreciar...sobram só espinhos

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Grande Caju, mais uma vez como sempre manda ver por aqui com um belo poema =]

    ResponderExcluir
  7. E essa ausência é um dói-não-dói maldito que faz terra não florescer mesmo...entendo...Beijos...

    ResponderExcluir
  8. Fred

    Tantas flores, perdidas, colorindo o jardim que ninguém vê.

    Deixo palmas e rosas para você!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá, Fred.

    Uau! Versos fortes... gostei muito.
    Sempre haverá jardins sangrando dedos que se ferem nos espinhos das mais belas flores...

    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  10. Alô, Fred Cajú. Obrigado por ter visitado meu blog. E parabéns pelo seu espaço também. Gostei do "Jardim da Ausência", é... nos poetas vivemos a cultivar solitariamente nossos jardins na terra fértil da poesia. Abraços. Vogaluz.
    PS.: vou seguir o seu blog.

    ResponderExcluir
  11. Palavras bem cultivadas e uma ironia de florir:)

    ResponderExcluir
  12. Cortante e belo... Meu beijooO* de carinho imenso.

    ResponderExcluir
  13. Negão, como sempre, teu verso é certeiro! Acerta em cheio, mesmo aqueles que andam mais ligados!
    Lindo poema! Foda, como sempre!

    ResponderExcluir
  14. Quem não tiver um jardim de ausência, que atire a primeira flor-presente.

    Belo poema!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. As flores de seus versos tocaram meu coração como espinhos. Muito bom, belo poema.

    Finalmente, estou de volta.
    Obrigada pela visita e comentário.

    ResponderExcluir
  16. como sempre,
    belos versos..
    abração Fred.
    =)

    ResponderExcluir
  17. Cajú de Fred queridão!

    É nesse jardim que partilho contigo a oração.
    Bj grande de uma boa semana, até.

    ResponderExcluir
  18. UAU!
    profunda dor que em palavras chega a ser linda!

    :)

    ResponderExcluir
  19. Oxê! Parabéns pelos textos belos, viu? Parabéns!

    ResponderExcluir
  20. Fred

    Restringi o acesso ao meu blog, para garantir um pouco de privacidade, pois alguns colegas de trabalho e vizinhos estavam lendo e me senti incomodada. Peço por gentileza, que envie um endereço de e-mail para que eu possa liberar o seu acesso.

    michele_pupo@hotmail.com

    Um abração

    ResponderExcluir
  21. Adoro seus poemas...
    Meu jardim hoje só floresce :)

    ResponderExcluir
  22. ô queridooooooooooo,
    muito obg pela visitaaaaaaaa *-*
    Paz

    ResponderExcluir
  23. Vim dar uma olhada antes que saia de cartaz amanhã. Não me arrependi!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!