sábado, 30 de abril de 2011

EU PERDI O MEDO DA SOLIDÃO (excerto)

Eu perdi o medo da solidão
assim que reaprendi a viver,
portanto, caso você queira
me proibir da sua alegria,
se distanciar do meu lado
ou até silenciar a sua voz,
você não precisará hesitar:
já descobri o amor próprio.
Eu perdi o medo da solidão
não me importo mais em ter,
ser é a essência verdadeira,
não quero mais a anestesia,
pois, da dor, estou curado:
eu já não me lembro de nós,
nem quero voltar a lembrar.
Eu perdi o medo da solidão
e já não tenho o que temer,
eu possuo a melhor maneira
para apreciar a melancolia:
elevo minha dor ao quadrado
em um ritmo bem mais veloz.
Eu perdi o medo da solidão
para reaprender a escrever,
para que a rima derradeira
cumpra seu papel na poesia,
para que eu cumpra meu fado.
Eu perdi o medo da solidão
e aconteça o que acontecer,
seja ou não, a sexta-feira,
trocarei a noite pelo dia.
Eu perdi o medo da solidão,
agora mato para não morrer,
como uma ave-bala certeira.
Eu perdi o medo da solidão
no momento que perdi você.
  

42 comentários:

  1. Eu perdi o medo da solidão encontra-se integralmente no e-book Monopólio da Solidão, disponível para download aqui mesmo no blog.

    ResponderExcluir
  2. Perder o medo para retornar a viver!
    Li essas palavras como se procurasse a fuga, no último ponto foi extase.

    Poeta fabuloso. Vício dos sábados.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que também perdi o medo da solidão..
    Não dói ser ermitão.

    ResponderExcluir
  4. caramba!! o final é mata-dor!!
    Parabéns, poeta! Bjos!

    ResponderExcluir
  5. perder o medo da solidão, encontrar o ser em si, apesar de ninguém ser feliz só, é perder para encontrar

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Quero aprender também.
    Aqui ainda dói.

    Bom sábado Fred!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  7. Toda perda provoca reações profundas, ao ponto de mostrar quem somos, de fato.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  8. Vou guardar esta receita, e no momento certo irei fazer uso !

    Depois te conto o resultado

    ResponderExcluir
  9. Esta é sangrenta...espero que voltas a encontra essa solidão...

    Bom poema e confess0 que me surpreendeu o final:)

    ResponderExcluir
  10. perder-se às vezes é caminho de salvação,


    abraço

    ResponderExcluir
  11. Me lembrou Raul Seixas em "Medo da Chuva":

    "Eu perdi o meu medo
    O meu medo, o meu medo da chuva
    Pois a chuva voltando
    Pra terra traz coisas do ar

    Aprendi o segredo, o segredo
    O segredo da vida
    Vendo as pedras que
    Choram sozinhas no mesmo lugar"

    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Acho um perigo esse verbo no passado ;)

    Eu não perdi o medo da solidão. Eu perco este medo ao autorizar-me me perder nele de vez em quando. Opções afetivas de lado, que delícia ler em voz alta este poema. Há um ritmo não óbvio, um convite a uma leitura pessoal que realmente, realmente me agrada.

    ResponderExcluir
  13. Caju, meu poeta, esse medo perdi qnd me apaixonei por mim.
    Saber conviver-se!
    Bjão e semana bem boa, até

    ResponderExcluir
  14. aí perdeu-se todo. rsrsrsr e beijos.

    ResponderExcluir
  15. http://confissoesdeumpierrot.blogspot.com/

    ficou muito bom esse poema,realmente uma grande lição,abraço.

    ResponderExcluir
  16. 'Danço eu, dança você na dança da solidão'...
    Lindo, Fred!

    ResponderExcluir
  17. eu domestiquei a solidão.
    a transforei em solitude.

    hoje somos grandes amigas.


    =)

    bjsmeus

    ResponderExcluir
  18. muito bom!!! solidão faz um bem.... pena que as pessoas tem tanto medo dela...

    ResponderExcluir
  19. Perder o medo da solidão é se permitir viver, independente dos outros, dos dias... somente viver e nada mais!

    ResponderExcluir
  20. Vim devolver a visita e fiquei ARREPIADA...

    Que lindo esse 'perder o medo da solidão'

    A gente descobre que sempre pode mais, que nem era tão difícil assim, que é mais forte do que acredita ser


    =)

    Já ficando por aqui.


    Volte sempre!!



    Um beijo.

    ResponderExcluir
  21. O poema todo transcorre impecável. Mas o fecho arrasa! Muito bom mesmo!

    Abraço, meu caro!

    ResponderExcluir
  22. Eu perdi o medo de enfrentar a solidão, eu também adoro a solitude, como a Fernand´s. Mas não é fácil, simplesmente não é fácil.
    Fred, você pode postar o "moscas" lá no "croinisias..." Pra mim é uma honra.
    Beijão,
    Ana Claudia

    ResponderExcluir
  23. Perder tal medo significa ganhar liberdade. Lindos versos.

    Obrigada pelo carinho da visita. Abraços.

    ResponderExcluir
  24. É TÃO bom aprender, não?!!!

    ResponderExcluir
  25. Olá,
    achei incrível, porque assumir que antes o que temia era solidão já precisa de um tanto de coragem.
    Volte mais vezes (:

    ResponderExcluir
  26. eu não tenho medo da solidão, eu sei ser só, muitos acham que sou autosuficiente, mas é uma defesa!

    ResponderExcluir
  27. Que poesia mais bela! Me apaixonei!
    Ainda bem que perdestes o medo da solidão.
    Gostei daqui, voltarei sempre. :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  28. A solidão é só um estadozinho de espírito.
    Não pode ser levada a sério.
    Ótimo poema.

    ResponderExcluir
  29. Perfeito poeta. Um poema sem comentários da minha parte. Lindo....

    ResponderExcluir
  30. NOSSA SENHORA DA SOLEDAD

    Nossa Senhora da Soledad,
    Bendizei o poeta que sozinho
    relê o seu verso e reescreve

    Como eremita, isolado em seu Eu,
    Espiona os versos escondidos
    Nos lugares insólitos da alma

    Bendizei,
    para que em sua descrença,
    O poeta descubra-se deus
    de seus versos solitários

    ResponderExcluir
  31. Quando aprendemos a nos amar mais e melhor, não temos medo da solidão.
    Texto incrível, me arrepiei aqui.
    Parabéns pelos posts e pela sensibilidade expressa aqui.

    ResponderExcluir
  32. Fred, venho convidar-lhe para comemorar comigo 2 anos de minhas releituras e leve o selo de amizade...espero-te. Abraços

    ResponderExcluir
  33. Lindo isso... eu tbem perdi o medo da solidão.. beijo pra vc!!

    ResponderExcluir
  34. muito interessante, você visita o meu blog, que contava com apenas um seguidor, em seu humilde começo, coloca um comentário que me deixa muito feliz e quando venho aqui, não só para retribuir, mas para ver se gosto também, leio isso, exatamente o que estou precisando ouvir! pois estou passando por algo do tipo agora, mas eu ainda tenho medo! muito bom! é um prazer tê-lo seguindo meu blog, da mesma forma, é um prazer segui-lo :)
    até

    ResponderExcluir
  35. Que bonito! Que triste! Que dor!
    Aí!
    Perder medo da solidão é necessário, mas difícil, né?

    beijo grandão!

    ResponderExcluir
  36. Ainda não perdi o meu... Mas confesso que depois dessa leitura vou tentar! hehe

    muitooo bom Caju!

    Vou postar no meu...

    ResponderExcluir
  37. Salve sabado, salve Caju!!!
    Realmente...solidao em prosa ou em verso,em letras arredondadas ou em garranchos, as vezes em silencio outras aos berros, sempre um tema inesgotavel, com inesgotaveis formas de expressar!
    Belo poema, belo blog!
    Abco
    Fly

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!