sábado, 29 de janeiro de 2011

BOLO DE BACIA

                         chove uma
                         chuva
                         chatinha
sem guarda-chuva
               nem chapéu
                       tchau-
                       tchau
                         chapinha
   

44 comentários:

  1. Bolo de bacia encontra-se no e-book Um Título Pouco Importa, disponível para download aqui mesmo no blog.

    ResponderExcluir
  2. pois é, meu chapa, é melhor assumir os cachos...

    beijo, caju!

    ResponderExcluir
  3. Hahaha mago, tu se garante muito no jogo de palavras...a sonoridade é fantástica. e claro, cachos na cabeça me embaraçam as ideias... cheiro!

    ResponderExcluir
  4. Meu Bom Caju, a chapa esquentou?
    Genialidade... fazer o quê!

    Na madruga, um bjão e super fds

    ResponderExcluir
  5. Eeeeeeei, pow! tinha esquecido o qnt adoro esse poema, nossa faz tanto tempo! vou reler o livro toda agora! lembrei q tem um mote com jogo de palavras.

    ResponderExcluir
  6. aqui em São Paulo é

    sol
    fogo
    não aguento mais
    quero chuva

    ;)

    beijo

    ResponderExcluir
  7. ARRASOU!!

    Adorei o jogo de palavras...
    Genial!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Hehehehehehehehehehehe!!!
    Excelente, meu querido Fred!
    Ah, essa tal chapinha, que tanto atormenta as meninas...
    Chuva sobre cabelo liso-chapinha, é tragédia que nem na Grécia antiga se viu.
    Adorei!
    Humor dos melhores.
    Abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  9. muito boa,
    realidade poética, que diria as mulheres.
    Parabéns

    ResponderExcluir
  10. obrigada, caju! pelas palavras, pela visita, pela releitura, pelos teus versos.
    besos

    ResponderExcluir
  11. Fred,
    assim que puder passe no flirck de Vânia :) é uma maravilha por lá!

    Combinação de tons sem palavras.

    Abraços meu caro.

    ResponderExcluir
  12. Fred, assim q puder também vou dar uma vasculhada em seu blog. Valeu, meu chapa.

    ResponderExcluir
  13. Fica o charme do cabelo molhado e a chave das alegrias de criança...Beijoca Fred...E eu já vi uma borboleta transparente...Linda, como ALEGRIA...

    ResponderExcluir
  14. eu sou uma mulher cacheada e apesar de doce não derreto c chuvinhas a toa. a chata sou eu. beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Sábado a lei é caju!... rs
    Adoro seu humor fino ;)

    O som da chuva... genial!

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  16. Amigo Caju, nem toda chuva é tempestade e nem toda brincadeira é sacanagem, hahaha!
    Valeu pela visita.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Fred, bom conhecer seu espaço. Estou seguindo para acompanhar melhor. Um abraço!
    Jefferson.

    ResponderExcluir
  18. Vc passou lá e deixou um recadinho tão fofo!!!
    Obrigada!!!

    Bem, seu poema é uma graça! E é por isso q eu não uso chapinha.. rsrrsrsrs

    Bjinho!

    ResponderExcluir
  19. para as mulheres thau chapinha neh ahsuahsuahs
    adoreiiiiii

    Beijosssss

    ResponderExcluir
  20. Esse trem tá tão bem escrito,chega incomoda!Queria ter escrito isso (invejinha rápida rsrsr).Adoro tuas sacadas, teu modo de ver poesia no trivial, no corriqueiro,no que está fora de ti. Amei a hitória do título pouco importar, chega de óbvio, né!. Esse poema é complicadamentesimples!

    beijos admirados,Caju!

    ResponderExcluir
  21. Fred, como sempre, adoro seus comentários, me engrandece por mais que eu seja uma pessoa de meros 1,58 de estatura, mas com sonhos altos, bem altos e "coloridos". Não sei bem ao certo de onde veio essa mistura de palavras coloridas nos meus textos, mas acredito que depois que assumir isso em mim, meu registro de nascimento fez total sentido!
    Um Grande Abraços cheio de cores...

    ps: Gosto do nome, como boa sertaneja, caju, lembra uma boa pinga, que lembra um bom quinta, que lembra as galinha ciscando a terra, que lembra uma serra, que lembra poesia! ...e essa, cheia de cores!
    =)

    ResponderExcluir
  22. Muito bom este teu espaço!

    Gostei!

    Grande Beijo.

    ResponderExcluir
  23. rs,
    divertido.

    aiai, confesso que ando precisando tomar chuvas chatinhas.

    beijo!

    ResponderExcluir
  24. otimo ......
    muito bom parabéns.....

    ResponderExcluir
  25. hahahaha

    Essa situação é sempre uma comédia.
    Nos seus versos, ainda ganham beleza.

    Tiro meu chapéu pra tu, Caju, sem medo da chuva.
    Meus cachos, molhados, continuam é em forma, com certeza!

    ResponderExcluir
  26. Oi, tudo bem?
    Vim te agradecer pelas palavras carinhosas que me enviou no meu niver. Seu carinho alegrou-me demais. Obrigada viu? Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  27. ahahaha
    adorei!

    e adorei o poema que pôs no comentário no Fale com ela!

    ResponderExcluir
  28. Chuva chata é inimiga da chapa. Muito bom esse seu ritmo de chuva. bj

    ResponderExcluir
  29. Você deixa o Leminski no chinelo. rs
    Eu ri.

    Bjs

    ResponderExcluir
  30. ôh Fred, Valeu!
    as suas descrições e ilustrações é que são lindas *-*
    Fico encantada sempre por aqui e com você.
    (Y)'

    ResponderExcluir
  31. Porém Tu, Senhor, És um escudo pra mim, a minha glória, e o que exalta a minha cabeça.
    Com a minha voz clamei ao Senhor, e ouviu-me desde o seu santo monte.
    Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou.
    SL 3:3-4-5

    DEIXO COM ABRAÇO DE PAZ E ALEGRIA DO PAI EM TEU CORAÇÃO.

    ResponderExcluir
  32. boa, fred!
    as que usam, querem morrer nessas horas!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    bjs, querido.

    ResponderExcluir
  33. Claro, claramente ou naturalmente nasce um belo sorriso no leitor, muito bom. Teu poetar é genial e o que eu leio de você fica registrado é inesquecível. Parabéns. :))))))))

    ResponderExcluir
  34. Cajuuuu!

    Este blog ganhou um selo. http://poetisaescabrosa.blogspot.com/2011_02_11_archive.html

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!