sábado, 18 de dezembro de 2010

OLEPARTNOC A

Contra? Contra quem?
Os pelos, os rios,
os ventos, o chão,
os rastros, os fios?

Contra? Contra quem?
A ordem, a lei,
toda exploração,
os nobres, o rei?

Contra? Contra quem?
O deus, o sistema,
a voz do patrão,
os signos, o lema?

Contra? Contra quem?
Os mesmos, os outros,
a cor, a exclusão,
os 'ismos', os rótulos?

Contra? Contra quem?
A modernidade,
a luz, a razão,
o sim, a verdade?

Contra? Contra quem?
o som, a grafia,
a lâmina à mão,
a prosa, a poesia?
  

22 comentários:

  1. Originalmente publicado em: DAHISFJ (12/09/2010).

    Olepartnoc a encontra-se na sessão INDESCULPAVELMENTE SUJO do e-book Os Teimosos e a Poesia do Contra (em co-autoria com D. Everson, Marcone Santos e Ane Montarroyos), em breve disponível para download aqui mesmo no blog.

    ResponderExcluir
  2. Caju, meu poeta amigo,

    A favor, completamente, da sua poesia.

    Bjão e lindo fds pra gente

    ResponderExcluir
  3. Eu sou realmente fã desse teu poema, desde que li escrito à mão, pregado no maior quadro de avisos do Cfch. haha

    ResponderExcluir
  4. Passei por aqui e gostei do contra-apelo poético.

    Beijos acajuízados

    ResponderExcluir
  5. Contrastes na velocidade de contratorpedeiro! Contradições, contra-dicções dominantes.

    Um belo poema. Não, contra o belo! Um forte poema.

    Grande abraço, Fred.

    ResponderExcluir
  6. Interrogar também é afirmar.

    Beijão, gatão!

    ResponderExcluir
  7. Saudades de passar aqui A contrapelo... Como sempre 10!

    bjssss

    ResponderExcluir
  8. Absolutamente a favor da poesia, em especial esta sua, que me faz pensar.
    Contra a velocidade do tempo, que não está me deixando sequer enxergá-lo: só vejo um vulto veloz... Ontem eu tinha dezoito anos, agora já fiz sessenta e seis!
    Não concordo com isso: sou contra...rs...
    Lindo poema, meu querido!
    Como sói acontecer...
    Enorme abraço!

    ResponderExcluir
  9. contrações=concêntricas: dia logo, logos, diálogo

    maravilha


    abraço

    ResponderExcluir
  10. contradança é comigo mesmo!

    belo, caju.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei de todo colada ao écran, lendo, sentindo.

    Soberbo poema ao qual aplaudo.

    bj

    ResponderExcluir
  12. Sou contra vc postar só aos sábados, suas poesias são lindas demais pra serem expostas aqui apenas uma vez na semana.
    Amei a forma do titulo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. !!aiseop ad rovaf A

    adorei isso!

    Bjo,poeta dos meus sábados!

    ResponderExcluir
  14. alguns contras e muitos 'a vafor'.


    diversos!
    bjs meus

    ResponderExcluir
  15. Contra a forma que seja única,
    Contra a palavra que não seja lúdica.

    Tua poesia é massa, Fred!!!

    Beijão

    ResponderExcluir
  16. lindas palavras escolhidas falando da realidade, assim como tudo que escreve...

    Beijosss

    ResponderExcluir
  17. Fred, querido, vc tem um "tom" muito legal de fazer poesia... um tom lúcido, lúdico, bem sintético e direto! Eu adoro isso!

    Grande abraço e um Natal cheio de paz e alegria junto aos seus. ;)

    ResponderExcluir
  18. Estou atrasada com os sábados ;)

    ... E que maravilha!!! Jogo sonoro e sensorial...
    "Contra todos e contra ninguém"


    Beijos =)

    ResponderExcluir
  19. O Natal chegou. Com ele nossas esperanças, nossos novos sonhos. Que nossas esperanças estejam sempre vivas, e que nossos sonhos tornem-se realidade. E que neste Natal o amor, a fé e a esperança estejam presentes em cada um de nós, que a cada novo dia do ano que está para começar estejamos iluminados. Feliz Natal, para você e a todos os seus familiares.

    Beijos no coração.
    Miss Simpatia.

    ResponderExcluir
  20. Contra tuas próprias palavras.
    -Faz silêncio

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!