sábado, 4 de dezembro de 2010

NO DOMINGO DE SILVIO SANTOS

No domingo de Silvio Santos
meu telefone começa a tocar,
e quando eu olho no display
era você me ligando a cobrar.
Pensando ser algo importante
atendo sua descarada ligação
mas quando vejo a besteira...
“Compra uma porra d’um cartão!”
É a última frase que eu digo,
ser convidado para o cinema
pra assistir filme americano
e ainda pagar pelo telefonema
é um chute certeiro no saco
que já está cheio com Faustão
e outras porcarias dominicais
que nunca saem da televisão.
Um perfume de terra molhada
anuncia a chuva em meu jardim,
agora fudeu tudo, com a chuva
o jardim nem precisa de mim.
E só agora começo a perceber,
com o meu jardim satisfeito,
que nesse domingo de chuva,
ir ver cinema seria perfeito.
    

28 comentários:

  1. Originalmente publicado em: Cronisias (13/11/2010).

    No domingo de Silvio Santos encontra-se no e-book Jardim da Ausência, disponível para download aqui mesmo no blog.

    ResponderExcluir
  2. Ah adoro seus textos....
    Hum e amo cinema, não importa o dia e a hora....e sim a Cia...rss
    Fico feliz que tenha gostado da minha interpretação do seu texto.
    Bom fim de semana, beijos.

    ResponderExcluir
  3. Isso tudo, querido, para confirmar a máxima que reza: há males que nos trazem bem...
    Adorei os teus versos, como sempre.
    Abraço bem apertado!

    ResponderExcluir
  4. Bom, domingo é dia de sair da rotina, ahh televisão realmente não dá..passear é bom, encontrar o amor rs!
    Gostei muito do poema!
    Um abraço Fred!
    Ju

    ResponderExcluir
  5. texto bem escrito viu? gostei demais! :)

    ResponderExcluir
  6. Caju, meu poeta querido,

    Adoro esse humor que vc imprime nas críticas trançadas ao poema.
    E cá entre nós, ninguém merece passar o domingo diante da tv, ainda mais aberta.

    Adoro os sábados, menino!!!!!!!
    Bjão e até o próximo

    ResponderExcluir
  7. cronica versificada de um domingo desesperado ou quase a se tornar liquido de efeitos


    abração

    ResponderExcluir
  8. Esta aí um dia do qual não gosto. Domingo é um porre.

    Mas o poema-desabafo ficou fantástico.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  9. Fred, você cometeu a blasfêmia de colocar Silvio Santos e Faustão num poema! Já não basta o espaço que eles ocupam na vida irreal das pessoas? Tinham que invadir o poema também? Deus o perdoe! Rs.

    Sério: esses caras são tão invasivos e importunos quanto ligação a cobrar! E pra completar o domingo a Michele ainda trouxe o Fantástico!

    Grande!

    Abração.

    ResponderExcluir
  10. tá vendo... não pensou nas possibilidades!

    rsrs



    bjs meus.

    ResponderExcluir
  11. Geralmente os domingos são assim mesmo. Mas hoje vou encher o meu de Reggae. rs
    beijo pra ti!
    e um bom domingo, sem Faustão ou Silvio Santos.
    ;D

    ResponderExcluir
  12. Domingo é triste, mas o bom é que a gente sempre pode mudar a história. Sempre.

    Obrigada pela visita ao onzepalavras e pelo comentário generoso.

    Volte mais vezes. Eu voltarei. Abraço, Ana

    ResponderExcluir
  13. Gostei da criatividade. risos.
    TV dia de domingo é terrível...

    beijos

    ResponderExcluir
  14. "Domingo eu quero ver o domingo passar".


    TV de domingo não dá mesmo.

    beijos

    ResponderExcluir
  15. Esse é um dos que mais gosto no 'Jardim da Ausência'.

    ResponderExcluir
  16. Hahaha...
    Adorei a crítica poética!!!



    Beijos =)

    ResponderExcluir
  17. Gostei do poema! :)
    Realmente, dia de domingo já é bem chatinho e quando vemos coisas como Faustão na TV, aí piora tudo hauhua.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  18. Não passar aqui ao sábados dá overdose mesmo!!

    ResponderExcluir
  19. Hoje está parecendo um domingo de Sílvio Santos...

    :]

    ResponderExcluir
  20. sinto sua falta por lá. beijos.

    ResponderExcluir
  21. Deus do céu, Fred Caju
    Que beleza encontrar tu!!
    hei de seguí-lo
    perseguí-lo-ei!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  22. Olá,que belas postagens.Cada poema mostra uma fala do coração que leva à alma,que encantador seu blog,já sou sua seguidora há tempo,passei hoje, para ler um pouco de poesia.Obrigada pela oportunidade.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  23. Gostei muito de teu jeito irreverente de escrever!
    Texto perfeito!
    Um domingo sem Sílvio Santos e Faustão.
    Bjoo

    ResponderExcluir
  24. Crônica linda, de um domingo que poderia ser de todos..

    ResponderExcluir
  25. Depois de uma bela macarronada, haja estômago para ligar a TV. Gostei da críc bm etruturada, Fred. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  26. Seu texto me apresenta uma questão: o que fazer quando o jardim está satisfeito? :-)
    Bom Natal!

    ResponderExcluir

Salve, salve, camarada!
O Sábados de Caju
escuta o que pensa cada,
podem contar quaisquer fatos;
se a prosa for prolongada:
tem a sessão de Contatos!