sábado, 28 de agosto de 2010

ESTAÇÕES E CORAÇÕES

Com tantos aromas e cores,
é clara a estação das flores.
Todos estavam na espera
para ouvir os passarinhos
cantando para a primavera,
exceto eu, que sou sozinho.
— Um coração que vive em pranto,
sem perfume, sem cor, sem canto.

Eu vejo todos mais contentes
quando o clima fica mais quente.
No brilho intenso do sol,
todos aproveitam o mar,
a piscina, o futebol,
menos eu, que não sei amar.
— Um coração que não quer luz,
que, lentamente, se reduz.

As árvores mudam de cor
e todos mudam de humor.
Os homens se rendem ao sono,
muitos querem dormir mais cedo,
enfeitiçados pelo outono,
menos eu, que vivo com medo.
— Um coração que se assombra
com o vulto da própria sombra.

Todos querem se aquecer
contra o frio que faz tremer.
A chuva purifica a vida,
que sempre vai buscar alguém
para se manter aquecida,
menos eu, sempre sem ninguém.
— Um coração só e vazio
suporta qualquer tempo frio.

Um ano, quatro estações,
um homem, quatro corações.
Tudo termina e recomeça
de forma simples e direta,
devagar e sem muita pressa,
exceto eu, que sou poeta.
— Um coração de poesia,
escravo da melancolia.
    

sábado, 21 de agosto de 2010

VIVAOVIVO

Pluga-te! Joga-te na rede
e baixe tudo que veneras
em bits, megas, gigas ou teras,

mas fuja do vírus da vida:
ele corrompe solidão,
disco rígido e coração;

pode transformar o binário
em uma linguagem plural,
e lhe jogar no mundo real.

Se tiver a vontade louca
de desligar essa tomada,
a sua máquina foi infectada...

Prepare-se para sangrar
e será melhor estar pronto,
pois a vida vem ao seu encontro.
    

sábado, 14 de agosto de 2010

CACTOS

Dos cactos, a sua resistência:
convive com a privação
e faz dela sua companhia
neste mundo de negação;
mesmo assim, têm a insistência
de sobreviver dia após dia.
   

sábado, 7 de agosto de 2010

ADUBO É MERDA OU BOSTA

Adubo é merda ou bosta,
não tem nenhum lirismo,
mas qualquer jardim gosta
desse pseudorromantismo.